De objectiva a tiracolo

Fantasmas do botânico (dupla exposição; modelo: André Barros)

AnfiBIO

Rosácea (modelo: Anthony Pascoalinho)

Neverland (modelo: Marvin Oliveira)

Rapaz anatómico

A menina do pôr do Sol

Fogo de conselho

Vasto império

Postal do Porto

Da saudade

Cabra fantasma (dupla exposição)

Quase ao pé de Deus

(D)as tardes cinzentas

First row to the rainbow

Marmórias

Tremelucência (dedicado à Vânia)

Ao reduzir as fotos para as colocar aqui perderam alguma nitidez, nomeadamente as três paisagens. Mas pronto, para ver melhor, fossem à exposição =P

De objectiva a tiracolo

Em exposição até 12 de Março, no Instituto Universitário Justiça e Paz.

Estão todos convidados!

Santa Clara

No outro dia fui ao mosteiro de Santa Clara com a Ana, a Vânia e o Tony. Para quem não o conhece, o Tony é este bicho aqui:

FOTO-SUTRA?

Como revela a foto, levámos máquinas fotográficas. Daí, deduz-se também que tirámos fotos. Eis duas, então:

Nos dias em que é de borla, recomendo a visita!

Sol bolacha

Esta manhã quando me levantei o nevoeiro era densíssimo, e pensei que se a cidade estivesse totalmente submersa nele até podia dar umas fotos giras. já tinha saudades da máquina fotográfica e fantasiei em levá-la para o hospital, mas claro que quando saí de casa não a levei porque muito dificilmente a cidade iria realmente estar submersa em nevoeiro e o risco de danificar a máquina nas aulas era grande demais para compensar a probabilidade mínima de uma foto de jeito.

Eis que a menos de 50 metros de casa olho para a direita e vejo silhuetas de telhados ao longe a enquadrar na perfeição um Sol pálido como nunca atrás do nevoeiro, uma mera bolacha branca que quase  não constrastava com o cinzento claro do céu em redor… Bolas! Voltei a casa a correr, agarrei na bolsa da máquina, saí de novo a correr, e nos 2 minutos que demorei o Sol tornou-se intenso, brilhante e fulgurante. Ainda tentei a fotografia na mesma, consegui captar o Sol de forma quase parecida com o que tinha visto antes, mas para obter essa exposição tudo o resto ficou escuro e sem a cor que caracterizava aquele momento como tão invulgar.

Por isso, em vez dessa fotografia que correu mal deixo-vos aqui outra foto que encontrei esquecida no cartão da máquina fotográfica, tirada durante um jogo de Age of Empires III que o Valeriano me ganhou por uns bem merecidos 8 pontos… Foi um grande jogo!

Terra do nunca

Nota: Isto não é fotojornalismo. A fotografia foi “fabricada” (obrigado Marvin pela paciência e colaboração) para exprimir um sentimento.

Enquanto fui à UCIGE

Chegados da Marinha Grande viemos directamente aos HUC para que eu pudesse fazer a “visita” diária à Cama 2 (a melhor cama dos HUC) da UCIGE (Unidade de Cuidados Intensivos de GastroEnterologia). Como estes dois têm mau aspecto e não os iam deixar entrar, ficaram na rua a tirar fotos para planear para uma possível operação com o Scofield, em que pretendem penetrar no impenetrável (a não ser que digam que são alunos ou levem bata) hospital, porque sim.

Aqui estão duas fotos dos dois capangas, tiradas com as suas novas máquinas fotográficas (para um deles, chamemos-lhe “filha”). Não há melhor local para o Baba tirar fotos. Caso aconteça alguma coisa à “filha”, o seu desgosto é tão grande que as Urgências são o seu destino.

Deixo-vos aqui uma foto do Pedro tirada em zooming e do Baba tirada em panning.

Bah…fraquinhos… Tudo desfocado… Mania que são artistas… :P

Na Drave

Suponho que poderia escrever muitas coisas acerca da experiência mágica e única destes últimos dias, mas não me sinto capaz. É algo que escapa ao totalmente alcance das palavras. Não dá para se contar, só para se viver.

Site da BNIV