Mr. Fortune

Já conhecia este vídeo há muito tempo, e já o tinha esquecido entretanto. Mas hoje, quando estava quase a adormecer devido ao torpor do estudo, tive uma vontade enorme de “revisitá-lo” e fui surpreendido pelo prazer que me isso me trouxe.

Há algumas razões pelas quais eu gosto muito deste vídeo, para além da excelente animação e da boa música, que se prendem com a interpretação que eu faço dele, que pelos vistos, na opinião de algumas pessoas, é surpreendentemente elaborada. Por isso é que resolvi vir aqui partilhá-la: e para vocês, qual é a vossa visão sobre este clip?

Vejam e interpretem primeiro, leiam o resto do post só depois, para que a minha opinião não influencie a vossa.

.

.

.

.

Antes de começar, deixo só a nota de que tendo visitado o site do autor, descobri, tal como já desconfiava, que aquele bonequinho branco se chama Mr. Death.

O vídeo começa com o aparecimento do Mr. Fortune na varanda de um prédio claramente velho e degradado, pobre e supostamente triste. No entanto, vemo-lo a sair, vibrante, cheio de uma felicidade musical que se nota ser constitutiva e não apenas momentânea. Ele caminha, satisfeito, por uma cidade sem muita cor, mas leva sempre um sorriso aberto na cara. Quando se senta, antes de pegar na guitarra, olha para o céu e sorri, reparando na beleza simples e discreta de um detalhe citadino, em que certamente mais ninguém reparou. E então, ele toca. Toca uma música que é simples, humilde, sem quaisquer pretensões, e ainda assim é muito bela. As pessoas passam por ele, depressa, decerto com um caminho determinado, ocupadas com alguma coisa que procuram, mas o Mr. Fortune sem ambições vãs tem tempo para apreciar e viver algo simples como o é a música, que não se importa de partilhar. No fim tem moedas aos seus pés, mas ignora-as a favor de um novo olhar para o sol.

Depois, há uma transição de cena e vêm-se as ondas do mar a rebentar, cada uma delas forte e bonita mas efémera pois no auge da sua existência é quando termina, irremediavelmente, como todas as ondas terminam para dar lugar à próxima (esta visão eu já a tinha, já escrevi sobre esta metáfora). Lá está o Mr. Fortune, apreciando mais um cenário de beleza, e de repente, de uma cena para a outra, súbita, sem aviso (tirando talvez aquela aparição mais cedo aparentemente inócua e que eu não soube interpretar), a morte. Esta chegada da morte, este confronto, este choque rouba ao Mr. Fortune o seu sorriso e a sua vibrância e ele pára por um momento, terá dúvidas, terá medo, estará triste? Mas eis que, e é aqui que eu o invejo para além de todos os limites, ele a aceita, recebendo a morte com o mesmo sorriso que dedicou à vida. Juntos, olham mais uma vez para as ondas, para a beleza do ciclo do mar, da vida. Quando o Mr. Fortune desaparece, desaparece também aquela música que o caracterizava, mas o som não acaba. Continua a batida de fundo, imutável, inabalável, como continuam a chegar novas ondas do mar. É a vida que continua.

Site do autor

12 Respostas to “Mr. Fortune”

  1. Vânia Says:

    E depois sou eu que penso de mais! =P

  2. Miguel Says:

    Interpreta lá isto (Prabbhu Deva tem rival!)
    http://br.youtube.com/watch?v=5JkjE-GN_qY&feature=related

    Golimar
    Golimar-mar-mar-mar-marrrrrrrrr
    \o/
    =D

  3. Pedro Says:

    Bolas oh Miguel, esta é muita má. E para tua informação, Prabhu Deva é o nome do artista, não o da música. Essa, chamava-se Kalluri Vaanil e é um mimo para os ouvidos d’Os 3 da 6+1!

  4. Miguel Says:

    Eu sei que é o artista. Não sei o nome deste, mas está quase lá. =P

  5. Pedro (Jesus) Says:

    Como raio sabes que o boneco branco com cara de rabeta é a morte??
    Podia ser o amigo de longa data que o convidou para um draft, e portanto saíram a correr, daí desapareceram de repente. O mesmo se aplica à musica: “vamos calar esta charanga irritante e bora lá ao magic”.

    Ass:

    Magicólico anónimo

    XD

  6. lena Says:

    sim Pedro… interpretei exactamente como tu. Achei o mr fortune um grande sortudo por se sentir tão feliz ( passe a redundância ) a tocar a sua viola, sentado no chão e a gozar o seu quinhão de solinho por entre os edifícios da selva urbana.
    Já quanto á misteriosa figurinha branca…aí não. achei que o nosso amigo tinha adoptado um animal de estimação e que ambos tinham ido curtir o mar. Morte? Não, mesmo.
    Realmente Pedro…o que não te falta mesmo é imaginação.;))

  7. Nela Says:

    [comentário editado por Pedro: movido para o sítio certo via copy-paste]

    Porque é que há-de ser a morte e não um amigo? O Mr. Fortune passa por ele no início da rua antes de começar a tocar. E não deixa o ritmo, na praia, depois de olhar para ele. A minha interpretação é mais no sentido da amizade, porque se reparares quando o Mr. Fortune está a tocar, olha para o lado como que a observar alguém. Por isso eu vejo assim: Mr. Fortune passa por um cãozinho que pára a ouvir a sua musica e o segue até á praia, tornando-de assim amigos.

  8. Pedro Says:

    Só quero esclarecer algo que pelos vistos não ficou lá muito claro quando eu disse que “tendo visitado o site do autor, descobri, tal como já desconfiava, que aquele bonequinho branco se chama Mr. Death”:
    Aquele bonequinho branco chama-se Mr. Death. Isto não é uma interpretação minha, é algo que parte do autor do clip. Tal como o bonequinho laranja se chama Mr. Fortune, o bonequinho branco chama-se Mr. Death. Assim o disse o Eric Lerner!

    (peço desculpa se pareço brusco a dizer isto, mas frustra-me quando não me consigo fazer entender, e então quis deixar o assunto bem claro. Não pretendo invalidar nenhuma das vossas opiniões, que continuam a ter todo o seu valor; apenas quis fundamentar a minha)

  9. Mr. Nelson Says:

    bom, aquilo para mim é uma batata frita a apanhar sol… tudo o resto serão elucubrações lunáticas do autor do comentário! uma batata frita, sem dúvida, das McCain, parece-me, se bem que aquele tom alaranjado me faça duvidar quanto ao prazo de validade da respectiva… e quanto àquele tampo de bidé que se junta no fim… bem, quem se lembrou de meter uma batata frita a apanhar sol também se lembraria de meter um tampo de bidé a ver o mar: é completamente lógico!

  10. PattyQ Says:

    Tenho de concordar com o Mr. Nelson, é definitivamente 1 batata frita, o tampo de bidé ék já deixa margem para dúvidas (os bidés têm tampo? não era as sanitas?… bem, se as batatas fritas apanham sol…)…
    Tb gostei da tua interpretação, posso ter duas opiniões? Teria 3, uma das quais minha, mas tenho o cérebro incapaz de criar (época de exames…), p isso fico com as vossas.

  11. Christine Says:

    Bem para mim o Mr.Fortune também é uma batata frita, mas daquelas gomas com açucar por cima (ou lá o que é que amarga), já o Mr.Death parece-me uma prancha de bodyboard.

    E sim, Patricia, há bidés com tampo, acho que foi moda nos anos 1996 (mais coisa menos coisa) em que punha tudo tampo no bidé porque era mais chique.

    Mas gosto da tua interpretação, Pedro… É filosófica :)

  12. PattyQ Says:

    Oi Pedro, vou acrescentar uma ideia à interpretação do Mr. Nelson, não da minha autoria, continuo com o cérebro embotoado (…) mas da autoria de alguém com as ideias muito mais frescas: o meu sobrinho de 8 anos!:)
    Ele observou, e muito bem, que o boneco k acompanha o Mr. Fortune, vulgo batata frita, deve ser o ketchup!…;)
    Pela cor eu diria k é a maionese, mas é tudo uma questão de embalagens…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: