Infinito

“(Se uma paliçada esconde outra paliçada, que por sua

vez esconde outra e assim por diante até ao

infinito, percebe-se que não há nada para esconder,

mas disso nunca teremos a certeza).”

– Manuel Afonso Costa (1949), Caligrafia Imperial e Dias Duvidosos

3 Respostas to “Infinito”

  1. Nela Says:

    É uma noção de Infinito invulgar, mas imaginável ..

  2. Miguel Says:

    Epá, que palhiçada! =P

    É liçado este post. Até porque não se deveria chamar paliçada, porque o objectivo dela é exactamente obrigar as pessoas a ficar aqui e não a ir páli.

    (eu a estragar o post iluminado com obscuros trocadilhos =P)

  3. lena Says:

    fez-me lembrar as bonecas russas…aquelas que ninguém tem paciência para abrir!
    com tanta paliçada…não há nada para esconder? não sei não!!!????


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: